Estratégias de Marketing Digital para Psicólogos

A Psicologia clínica é hoje uma forma de empreendedorismo. O psicólogo formado precisa lidar com situações empresariais no seu dia a dia, que envolve a organização e manutenção do funcionamento da clínica, agendamento de consultas e atendimento dos pacientes, faturamento, cobranças, contas, entre outras atividades de negócios. Hoje, muitos profissionais de saúde precisam ir além da sua formação para ter sucesso.

Para ajudar a ter um entendimento simplificado para a categoria, definimos algumas estratégias de marketing digital para psicólogos. No entanto, focados na atualização de ações com base na Transformação Digital, resolvi dar um parâmetro mais aprofundado e de fácil entendimento dos processos.

PESQUISA: O MERCADO DE PSICOLOGIA NO BRASIL E NO CEARÁ

As regulamentações da categoria são regidas pelo CFP – Conselho Regional de Psicologia. Na última pesquisa o órgão revelou que no Brasil soma-se hoje um total de 320.541 profissionais registrados.

No Ceará, 11ª Região, o Conselho Regional de Psicologia (CRP) contam com 7.772 psicólogos, uma fatia de 2,4% do total. Desse total, 85% são formados por mulheres.

LEGISLAÇÃO: A PUBLICIDADE PARA PSICÓLOGOS

O CFP também é responsável por regulamentar as atividades do Psicólogo quanto profissional, isso inclui ações éticas quanto à sua promoção.
“O artigo 38 do Código de Ética Profissional do Psicólogo veda ao psicólogo:

a) Utilizar o preço do serviço como forma de propaganda;
b) Participar como psicólogo de quaisquer atividades através dos meios de comunicação, em função unicamente de autopromoção;
c) Fazer previsão taxativa de resultado;
d) Propor atividades e recursos relativos a técnicas psicológicas que não estejam reconhecidos pela prática profissional.

Já a Resolução do CFP N° 010/97 declara em seu 1° artigo que:

É permitido ao psicólogo, no exercício profissional, na divulgação e publicidade, através dos meios de comunicação, vincular ou associar o título de psicólogo e/ou ao exercício profissional, somente técnicas ou práticas psicológicas já reconhecidas como próprias do profissional psicólogo e que estejam de acordo com os critérios científicos estabelecidos no campo da Psicologia.”

O Código de Ética prevê então que:

  • O psicólogo não pode associar a prática clínica a outras atividades ou recursos que não possuem reconhecimento do CFP. Entram nessa categoria práticas como Reiki, Tarologia, Aromaterapia e demais atividades consideradas holísticas. O mesmo vale para promoção do profissional nestas atividades.
  • Não é permitida ao psicólogo qualquer publicidade que garanta prazo de “cura” ao paciente ou garantia de sua recuperação total.
  • O título de “Doutor” não pode ser utilizado por psicólogos na publicidade para gerar valor aos seus pacientes.
  • Embora não haja uma tabela, o Psicólogo não pode utilizar preços como argumentos de venda na sua comunicação.
  • É vedado ao psicólogo qualquer tipo de promoção de atividades inerentes à sua área de atuação, evitando assim a invasão em outras especialidades. Por exemplo, promover a psicologia para lidar com dores físicas.
  • É obrigatório o uso do número de inscrição junto ao CRP em qualquer material publicitário. Já os sites de serviços psicológicos requerem também o selo de credenciamento do Conselho.
  • É proibido utilizar em entrevistas ou materiais publicitários casos de pacientes de modo a evitar constrangimento, exposição ou humilhação dos mesmos.

O profissional que, por qualquer razão, esteja em descumprimento com a legislação ficará sujeito a um processo ético que, em dependendo da gravidade, pode levar à perda do registro profissional.

MAS AFINAL, O QUE É O MARKETING PARA PSICÓLOGOS?

Agora que estamos cientes do mercado e que a Psicologia clínica é um negócio, devemos entender que toda “empresa” precisa de estratégias para gerar vendas. O Marketing para Psicólogos é um conjunto de ações que analisam o mercado para definir técnicas eficientes para atrair, engajar, converter e reter pacientes. Neste caso, o objetivo é obter a atenção de um possível paciente, fazê-lo se relacionar com a marca – no caso o psicólogo – ganhar sua confiança e, então, garantir o melhor atendimento.

Um cuidado especial que deve-se tornar é na definição do público-alvo. Geralmente, a Psicologia lida com indivíduos que, em muitos casos, estão vulneráveis emocionalmente. Por isso, é preciso ter empatia e ética ao se promover para eles, especialmente na composição imagem + texto (falaremos disso mais a frente).

O MARKETING DIGITAL PARA PSICÓLOGOS

Primeiramente, o mito (ou medo) de que investir em Marketing neste segmento é irrelevante deve ser eliminado. O medo constante de receber notificações ou multas do CFP faz com que o psicólogo tenha receios de “aparecer”. Por isso, obter acompanhamento de uma agência de marketing digital focada em transformação digital é uma solução excelente, já que a mesma obtém os cuidados necessários para prevenir punições legais. Confira algumas dicas eficientes:

PROMOVA CONHECIMENTO

“Quem vai ao psicólogo é louco”. Você provavelmente já viu ou se deparou com essa “afirmação”. O contexto clínica da Psicologia em atender historicamente situações de desajustes sociais e mentais é o grande responsável por esse mito. A psicoterapia é hoje uma ótima “ferramenta” de prevenção e manutenção da saúde mental. Além disso, ela auxilia em campos como autoconhecimento, autorrealização, ressignificação de crenças limitantes, sejam elas nos quesitos emocionais, cognitivas ou comportamentais.

Por isso, promover o conhecimento do que é a Psicologia, os benefícios da psicoterapia, as especialidades da área, os tipos de psicopatologias e tratamentos, entre outros é uma forma de expandir a visão daqueles que não conhecem bem.

Foi Sócrates que uma vez disse:

“Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância.”

E complementou:

“Não penses mal dos que procedem mal; pensa somente que estão equivocados.”

Promover o seu conhecimento ajudará a catequizar seu público-alvo sobre o papel do profissional de Psicologia. Esse processo poderá remover a crença limitante existente, reduzir o medo e ganhar confiança no processo.

UTILIZE ESTRATÉGIAS DE MARKETING DIGITAL

Explicar 100% todas as possíveis estratégias é impossível, no entanto, tentarei simplificar ao máximo algumas ótimas opções:

SITE E/OU BLOG

Criar um site ou blog é uma excelente forma de promover conhecimento (dica A). Escrever artigos e postagens além de instruir seu cliente também é ótimo para rankeamento da sua imagem nos resultados das buscas feitas em motores como o Google.

Imagine o seguinte. Antes de comprar um produto ou contratar um serviço para solucionar algum problema, o que você faz…? Provavelmente respondeu: “Procuro no Google”, certo? Esse comportamento é bastante comum no dia a dia dos usuários. Por isso, estar em evidência quando o SEU PACIENTE procura pelo que VOCÊ FAZ é importante.

PROMOVA UM CANAL NO YOUTUBE, WEBINAR OU TRANSMISSÕES AO VIVO: Uma das regulamentações do Conselho Federal de Psicologia é que o psicólogo não pode realizar publicidade com único foco em se autopromover. Por isso, criar um canal enfatizando dicas e temas de importância para seu público-alvo é crucial, bem como discorrer sobre esses tópicos em transmissões em tempo real. Lembrando que: o diagnóstico de paciente online também é vetado.

INVISTA NAS REDES SOCIAIS

O Facebook conta atualmente com 127 milhões de usuários no Brasil, dos quais 120 milhões acessam a rede social via dispositivos móveis como um smartphone.

Com 1 bilhão de usuários ativos POR MÊS, o Instagram é hoje uma das redes sociais de maior preferência dos brasileiros. Hoje, o Brasil é o segundo maior do mundo em número de usuários do aplicativo. São mais de 60 milhões de fotos postadas diariamente e 15x mais interações que o próprio Facebook. A pesquisa publicada pela OpinionBox também revelou que:

  • 83% dos entrevistados segue alguma empresa ou marca na rede social
  • 47,5% já compraram ou contrataram algo indicado por alguém via Instagram
  • 50% dizem ainda já ter comprado algum produto ou contratado algum serviço que conheceu no Instagram

Precisa explicar mais?

FAÇA ANÚNCIOS PAGOS

Com seu site e/ou blog no ar, promova temas destaques de alta busca e relevância, que podem ser transformados em anúncios via Google Ads. Assim, além de trabalhar os resultados orgânicos por criar um site eficiente, você pode aparecer como anúncios pagos quando o seu cliente pesquisar sobre você ou um tema específico.

Outra dica é promover vídeos do seu canal na Rede de Display do Google Ads, local que exibe imagens e textos em sites parceiros do Google.

Você pode trabalhar os anúncios para serem acionados com palavras-chaves específicas como: “psicólogos em fortaleza” ou “como escolher um psicólogo”.

A mesma lógica também pode ser aplicada no Facebook e no Instagram através do Facebook Ads. A diferença principal é que você pode configurar o público-alvo do seu anúncio que utilizam essas redes sociais e definir interesses específicos, bem como localidade, idade, sexo e comportamentos.

INBOUND MARKETING

É uma estratégia que consiste em direcionar seu público-alvo em um funil de vendas, onde cada etapa do funil contará com ações específicas como direcionar o usuário a um post no blog, ver um vídeo no canal, baixar um ebook ou participar de um webinar, por exemplo, até que a conversão em agendamento de consulta ocorra.

CUIDADOS QUE DEVEM SER TOMADOS NA PUBLICIDADE PARA PSICÓLOGOS

Existem três fatores psicológicos que devem ser considerados quando se fala na influência do comportamento humano. São eles:

PERCEPÇÃO

Dentre os cinco sentidos do ser humano, a visão é a mais “afetada” quando envolvemos técnicas de Marketing Digital. Uma campanha publicitária nada mais é do que uma ação que visa gerar uma sensação e ativar a percepção, que por sua vez composta por estímulo, interpretação do mesmo e os fenômenos psíquicos associados.

“Sensação é a resposta específica a um estímulo sensorial particular, enquanto percepção é o conjunto de mecanismos de codificação e de coordenação das diferentes sensações elementares visando um significado”. ( FIALHO, 2001 p.43 )

Desse modo, é entender:

  • Qual a mensagem que você quer passar na peça publicitária?
  • O que o consumidor entendeu dela?
  • Quais sensações foram despertadas e quais estímulos levaram a uma ação?

A estratégia utilizada deve levar em conta um estudo aprofundado do usuário. No entanto, é a percepção do mesmo sobre o elemento visual que está sendo apresentado que preencherá as “lacunas” do que você quer transmitir segundo a própria vivência do receptor e sua visão empírica.

Utilizar recursos verbais e não-verbais é crucial para facilitar o entendimento. Estudo de fontes, cores, tipos de imagens são importantes. O uso de uma cor vermelha, por exemplo, reflete o senso de urgência, enquanto o amarelo pode representar uma ação; o azul pode transmitir sensações de confiança e segurança, enquanto o roxo reflete criatividade. No entanto, as cores e seus sentidos podem variar de acordo com o segmento ou mensagem, como o vermelho ser associado a sangue numa campanha de doação ou a comida quando usada por um fast food.

No entanto, como mencionado anteriormente e agora explico, o cuidado é essencial para a criação das key views (as visões chaves da campanha, ou seja, os layouts criados). Como disse antes, o público-alvo do psicólogo geralmente está associado a algum tipo de transtorno. Por isso, o cuidado com cores e imagens impactantes que podem gerar gatilhos negativos é importante.

O uso de imagem de uma corda pendurada, uma faca ou pílulas para falar de temas polêmicos como suicídio pode ser problemático.

13 REASONS WHY

Baseada no livro Thirteen Reasons Why, de Jay Asher, e adaptado por Brian Yorkey para a Netflix em 2017, 13 Reasons Why é uma série americana que causou muita polêmica no mundo. Alguns dos fatores que levaram ao buzz foram:

A série foge das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que lançou em 2000 uma lista de itens a serem seguidos por meios das mídias ao falarem e retratarem casos de suicídio, já que romantizam o suicídio, retratam o ato como uma resposta aceitável às dificuldades, além de incluir um método, local ou detalhes de como proceder.

Da mesma forma, a produção desconsidera o Efeito Werther, um termo existente na psicanálise que, de forma simples, significa que um caso de suicídio pode refletir em um efeito cascata, incentivando e motivando outros “aspirantes” a cometer o mesmo comportamento.

MOTIVAÇÃO

Enquanto a percepção foca no entendimento do usuário quanto à peça publicitária, a motivação é o resultado em uma ação proveniente do acúmulo de estímulos.

MOTIVAÇÃO: Refere-se a um estado interno que pode resultar de uma necessidade .É descrito como ativador ou despertador, de comportamento geralmente dirigido para a satisfação da necessidade instigadora.(Linda L.Davidoff-p.325)

Ato ou efeito de motivar, Conjunto de fatores psicológicos (consciente ou inconsciente) de ordem fisiológica ,intelectual ou afetiva, os quais agem entre si e determinam a conduta de um individuo.(Aurélio,p.1164)

Psicólogo reconhecido, Abraham Maslow propôs uma hierarquia de necessidades do ser humano conhecido como a Pirâmide de Maslow, ferramenta bastante utilizada no Marketing. Segundo ele, as necessidades são definidas da seguinte forma:

Definir onde a necessidade do seu serviço se coloca na Pirâmide de Maslow é uma ótima maneira de entender as motivações do mesmo. Associar seu processo às crenças do consumidor deixará sua comunicação para ele mais natural, lógico e eficiente sem, claro, esquecer a ética profissional já mencionada neste artigo.

APRENDIZAGEM

Agora que seu público-alvo foi estimulado e motivado, entramos na fase de aprendizagem, um fator psicológico que se caracteriza pela aquisição de comportamentos. De modo geral, este processo é constituído de três fases:

  • Motivação: Crie uma comunicação que faça sentido, gere sensações e estimule o usuário, seu possível cliente, a uma ação específica. Exemplo: colocar o telefone no KV da publicação no Instagram e pedir para que ele ligue e agende uma consulta no texto de descrição.
  • Experiência de aprendizagem: é o momento da compra. Os momentos cruciais que definirão se o usuário irá comprar ou não a sua proposta de ação: Exemplo: Se o cliente resolverá ligar ou não para agendar uma consulta.
  • Aquisição de conduta: Se a fase anterior for bem sucedida, a necessidade em questão que foi gerada no usuário será o fator motivacional da sua ação. Exemplo: O cliente decide ligar para agendar uma consulta.

Neste momento, o valor gerado pelo cliente em relação ao seu serviço foi o suficiente para motivá-lo a realizar um agendamento de consulta. Por outro lado, a sua percepção de qualidade e excelência só será definida no momento da experiência da compra. Neste caso, experiências negativas pode ser o fator determinante se ele retornará, se ele falará bem ou mal sobre você, ou se jamais voltará para uma nova consulta.

EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO

Já ouviu a expressão: “meu médico é ótimo”? Certos profissionais geram tanto valor em seus clientes que fatores como localização, preço e outros são inferiores à qualidade e atendimento. Por isso, gerar a confiança é fundamento para um bom relacionamento.

E como adquirimos a confiança do paciente? Gerando experiências inesquecíveis.

MARKETING DE RELACIONAMENTO

O Marketing de Relacionamento visa criar estratégias eficientes na hora de aproximar um cliente e retê-lo. E engana-se se você acha que a experiência dele se inicia no seu consultório. Uma experiência positiva envolve:

A) A posição do seu site ou páginas de acordo com as pesquisas feitas pelo usuário.
B) A relevância do conteúdo existente na página de acesso
C) O uso dos gatilhos mentais que motivarão seu usuário a completar uma ação
D) A facilidade existente de execução dessa ação, como ligação ou envio de email
E) O tempo de resposta após o contato efetuado
F) O atendimento durante o momento da venda e os argumentos de venda.
G) A capacidade do atendente em gerar confiança.
H) A clareza para encontrar seu consultório
I) A estrutura física do seu consultório: estacionamento, fachada, recepção etc.
J) O tempo de espera do atendimento
K) A percepção positiva do cliente com o psicólogo.
L) A metodologia aplicada no tratamento
M) Entre outros.

Um site mal projetado, um atendimento ruim, a falta de contato e explicação, a ausência de empatia com o paciente e suas dores são alguns dos pontos que devem ser analisados. Como está a jornada de compra do SEU CLIENTE? Você se acha facilmente pelo que atende? Você se contrataria?

Uma vez que você tenha gerado boas experiências e ganhado a confiança do seu paciente, o mesmo será seu maior divulgador e defensor.

CONCLUSÃO

Para conquistar mais clientes para seu consultório através das estratégias de marketing digital para psicólogos é preciso garantir que:

A) Seu cliente te encontre facilmente

B) Ele precisa confiar na sua capacidade, isso será conquistado com o tempo através da criação de conteúdos relevantes, seja como textos no blog, vídeos no youtube ou relacionamento via redes sociais

C) Seu consultório precisa estar apto, sua equipe treinada e seu senso empático em evidência para promover a melhor experiência possível.
Uma vez que a jornada de compra e a experiência de usuário ocorram perfeitamente, o branding (seu reconhecimento de marca) no mercado ganhará relevância e audiência. Isso é excelente para atrair novos interessados e aumentará sua base de fãs, pacientes atuais que defenderão e divulgarão seu trabalho.

Curtiu o nosso artigo? Deixe suas dúvidas nos comentários ou agende uma visita conosco via Whatsapp: (85) 98744-8721.

FONTES:

blog.opinionbox.com/pesquisa-uso-de-instagram-no-brasil/
actinstitute.org/blog/como-atrair-mais-pacientes-para-sua-clinica-de-psicologia/
o2web.site/marketing-para-psicologos/
psicologiamsn.com/2014/09/30-dicas-como-atrair-clientes-para-o-consultorio.html
digai.com.br/2017/10/psicologia-para-estrategia-marketing/
www2.cfp.org.br/infografico/quantos-somos/
www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/jornal_crp/144/frames/fr_orientacao.aspx
joicebruxel.com.br/mitos-psicologo-psicoterapia/
epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2018/07/facebook-chega-127-milhoes-de-usuarios-no-brasil.html
canaltech.com.br/redes-sociais/instagram-bate-marca-de-1-bilhao-de-usuarios-ativos-116344/
exame.abril.com.br/negocios/dino/instagram-15-vezes-mais-interacoes-que-outras-redes-sociais/
www.tecmundo.com.br/redes-sociais/131503-instagram-tem-1-bilhao-usuarios-ativos-mes.htm
superela.com/porque-nao-ver-13-reasons-why
blogdapsicologia.pling.net.br/a-importancia-de-um-bom-relacionamento-com-clientes-para-o-psicologo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *