As marcas nos dias difíceis

as marcas nos tempos dificeis

Vamos falar um pouco sobre as marcas nos dias difíceis.

O tempo em que contratar uma pessoa bem famosa para fazer com que as pessoas comprassem seu produto já passou, hoje é preciso bem mais que isso. Muito mais. A concorrência está grande e com uma disputa clara para o cliente, sem contar que as marcas não são mais um mistério para eles. Atualmente quem não se atualiza fica pra trás e quem fica apenas na mídia tradicional dificilmente vai vencer a luta pela conquista do cliente final. Sobreviver numa época em que existem marcas demais, produto demais, publicidade demais, marketing demais está complicado. É necessário uma nova maneira de pensar, de aceitar que o mundo mudou e as pessoas mudaram seus comportamentos e com isso, bem mais que mudar a maneira de pensar, é preciso mudar a maneira de agir e de ser.

Podemos notar que existem empresas que surgem e desaparecem a todo momento. As marcas são como pessoas, vamos dizer assim, elas nascem, crescem, se reproduzem e…Escreve uma história. A diferença é que elas podem demorar muito a morrer ou nunca morrerem. Os consumidores ficam mais próximos das marcas pelo o que elas representam, ou seja, quantos mais significados elas tiverem, mais inspiradoras e fortes serão. Aqui o termo marca vai muito além do nome, logo, produto…Tem a ver com história, fama, conceito, identidade e valores. Todas elas são um agrupamento de significados, de histórias, de valores e conceitos, assim como nós são uma integração de uma série de coisas.

As marcas precisam absorver a ideia de que elas não vendem apenas um produto, mas, sobretudo, um imaginário de coisas, um modo e estilo de vida, valores com capacidade de gerar aquela vontade ou desejo de fazer parte. Estamos num momento que bem mais que mostrar produtos ou o que vendemos é precisamos mostrar os bastidores, o que acontece por detrás das câmeras, o making of de toda a mágica. As marcas precisam trabalhar o lado humano, colocar pessoas ou algo que se relacionem com elas na sua comunicação.

Eu particularmente sou encantado com as propagandas da Coca-Cola. Toda vez que assisto fico imaginando todo o trabalho que foi preciso enfrentar para sair um resultado tão incrível. Eles são sempre bem humanos, faz parte dá identidade e dá cultura dá marca. Para surgir e não desaparecer é preciso estar sempre inovando, e acompanhar as tendências faz parte disso. Não adianta bater o pé no chão e dizer: eu sou assim é ninguém vai me mudar.
Realmente ninguém vai mudar você (marca) mas se você não se atualizar infelizmente ficará para trás e mais na frente desaparecerá.

Deixar um comentário