Digital Influencer e a publicidade

digital-influencer-e-a-publicidade

Enquanto uma pessoa normal se esforça para compor uma foto ou um texto nas redes sociais, o Digital Influencer com o mais simples post possível consegue vários likes. Eles são pessoas que exercem grande poder de influência, verdadeiros formadores virtuais de opinião. Há quem diga que eles são pessoas normais como a gente que deram sorte na vida e conseguiram milhares de seguidores, por outro lado, há quem diga que são projetos de marketing.

Pode parecer fácil ser um influenciador, levar uma vida de ir às festas, ganhar presentes e ter vários fãs. Mas ele é responsável pela mudança comportamental e de mentalidade em seus seguidores o qual é definido através de estratégias empregadas por eles mesmos ou pelas marcas que os contratam. Tudo é trabalhado em conjunto, para da forma mais natural possível promover a identificação das pessoas com o perfil na rede social ou com o conteúdo que é divulgado. Em uma palestra da Amazon Content, Alaina Paisan afirmou que é um tipo de mídia que só tem a crescer. Isso porque nossa geração é superconectada, então nada mais natural do que se identificar com essas pessoas que falam de igual pra igual com a gente.

Mas como escolher o Digital Influencer ideal para estar na minha campanha?

Antes de tudo é preciso entender que um D.I. é diferente de uma celebridade da mídia não nativa da internet. Ele é o canal, a própria mídia. Não existe pessoa melhor para se comunicar e entender seu público além dele. Antes de sair contratando qualquer influenciador ou sair mandando coisas grátis pra todo mundo é fundamental entender o que a marca pode falar nas redes e em quais temas é relevante engajar os consumidores. Quanto mais natural a conversa entre o D.I. e o seu púbico, mais retorno positivo ele trará à sua marca.

É preciso conhecer o influenciador, sua história, sua rotina, seus ideais… Ter este conhecimento evita trabalhar de uma forma errada seu produto. Faça um mapeamento dos principais nomes que se identificam com seu segmento de atuação e vá analisando cada um pra ver o que vale a pena anunciar ou não. Por exemplo, você trabalha com moda e sua loja é nova no mercado. Será que vale a pena enviar meu produto para Camila Coutinho? Será que ela mostraria nas redes sociais, sendo que ela recebe produtos da Água de Coco? Talvez.

Será que arriscar esse ‘talvez’ vale a pena?

É preciso entender que o resultado de um influenciador que tem 1 milhão de seguidores pode ser menor do que o do influenciador que tem 100 mil seguidores. Contratar um D.I. é diferente de mandar presentes, ao contratar ele trabalhará de uma forma fixa para sua marca e o cuidado que deve ter nesta categoria é não deixar tão evidente ao público que essa parceria foi comprada. Até porque uma característica forte do Digital Influencer é a espontaneidade. Quanto mais natural a conversa mais chances de conquistar o público. De forma natural e com liberdade autoral, você evitará rejeição e ruptura de engajamento.

O Youtube InSights diz que 82% das mulheres confiam mais na opinião de influenciadores do que em redes sociais ou televisão. Justamente por eles falarem a real e sem filtros. E não esqueça: Não adianta ter uma grande base de audiência e não ter engajamento.

E você, o que acha dessa “Nova Mídia”?

Deixar um comentário

Open chat