Marketing de Guerrilha

marketing-de-guerrilha

Marketing de Guerrilha é tentar aproveitar ao máximo as oportunidades de uma marca ainda pequena para que elas possam se destacar no mercado com pouco investimento, o qual surgiu nos anos 70 dentro de uma ideia que tinha por intuito chamar a atenção dos consumidores através da desconfiança em relação aquilo que estava sendo anunciado.

A mesma ideia se apropriou seu criador, onde empresas menores buscam o Marketing de guerrilha para se destacarem diante de seus concorrentes com o menor investimento. Porém, até mesmo as grandes empresas já perceberam o potencial do Marketing de guerrilha para fazer bons resultados e conquistar clientes. Tanto que muitas delas se apropriam desse conceito para criar suas campanhas.

A ideia deste Marketing é conseguir, mesmo com recursos reduzidos, alcançar resultados através de campanhas inusitadas. Criado justamente com base nas estratégias da guerra do Vietnã, o Marketing de guerrilha surgiu através desse termo da guerra, onde forças mais fracas precisavam aproveitar ao máximo seus conhecimentos para vencer forças maiores. Intervenção urbana, Marketing invisível, Eventos e patrocínios, Flash mob (instantâneas de pessoas em certo lugar para realizar determinada ação), Astroturfing (mascarar os patrocinadores) e Marketing de emboscada (conjunto de ações publicitárias paralelas, de caráter direto ou indireto) são algumas ferramentas que agências e empresas podem utilizar para criar as ações.

Não existe um momento especifico ou considerado certo, ao contrário do marketing de oportunidade, para executar o Marketing de Guerrilha. Devido a tantos estímulos que são acionados diariamente, devido a tantos compartilhamentos, as empresas podem se apropriar dessas ferramentas e criar suas campanhas. Ele se destaca, porque de forma interativa e envolvente, consegue atingir pessoas e engajá-las em determinadas situações simples do cotidiano. Um dos grandes benefícios do Marketing de guerrilha é fazer a segmentação, uma vez que atinge diretamente o público alvo em momentos estratégicos e criados com menores investimentos. Tudo isso através de ideias simples e segmentadas e que nunca passam despercebidas pelo público.

Ao invés de pequenas empresas investirem milhões de dinheiro em mídias tradicionais, inclusive saturadas, elas podem realizar campanhas de Marketing de guerrilha na rua e atraindo muito mais pessoas. Sem dúvida as empresas que pensam em campanhas de Marketing de guerrilha sempre tem uma chance de inovar diante de seu público alvo, criando assim muito impacto e o famoso “boca a boca” através dos comentários das pessoas. Deve ser ações que chamam muito a atenção das pessoas, começando primeiramente por registros fotográficos e compartilhamentos nas redes sociais. através de uma campanha do tipo de Marketing de guerrilha, é possível gerar o que chamamos de mídia espontânea. Onde o interesse em publicar determinado assunto parte da própria mídia, sem a necessidade da empresa “vender a informação”. O Marketing de guerrilha gera também uma grande empatia entre consumidor e marca, aumentado a visibilidade e consequentemente aumentando a popularização da marca. Para fazer este tipo de marketing procure, antes de mais nada, conhecer muito bem o cliente  ou a empresa para a qual será desenvolvida a campanha de Marketing de guerrilha. Sabemos bem como campanhas mal pensadas podem gerar impactos negativos, comprometendo fortemente a imagem da empresa. Sempre considere a questão de envolver clientes e criar uma certa empatia dos clientes com a marca. Em alguns casos, fazer parcerias com outras empresas pode ser um grande diferencial.

Deixar um comentário

Open chat